Ultimas atualizações
  • Teste 1: Teste

  • CUSTOMIZAÇÃO DE MOTOS HD

  • PRODUTOS PARA HARLEY-DAVIDSON

  • TOMBO NA LAMA NO PR

  • RJ: SALÃO MOTO BRASIL

  • DIAVEL BLACK

  • ESPANHOL DE MOTOVELOCIDADE

  • BRASILEIRO DE MOTOCROSS

  • RECALL NA HONDA CRF 450 R

  • Post por // outubro 9, 2015

    Piloto mostra determinação em seguir exemplos dados pelos pais e aprender com os erros

    No Superbike Brasil piloto está pronto para disputar pelo título

    diego faustinoQue atire a primeira pedra aquele que nunca pegou um carro escondido, saiu de fininho driblando um castigo ou fingiu estar doente para não ir a aula. Motivos não faltam para pais como João Faustino ensinarem a seus filhos os ‘bons modos’. Mas o que seria de Diego Faustino se não tivesse sido rebelde o suficiente para ficar dois meses de castigo?
    Como diz o velho ditado ‘há males que vem para o bem’. E não há citação melhor para descrever os acontecimentos envolvendo o atual piloto da Honda CBR 1000RR Fireblade (#68), pela equipe Honda Mobil. Faustino sempre foi apaixonado por esportes a motor, especificamente aqueles envolvendo carros — o piloto é fã de Ayrton Senna e dada sua idade, 25 anos, cresceu ouvindo sobre as proezas do “Ás” do volante. Mas pensamentos adolescentes o levaram a pegar o carro do pai escondido certa vez, o que infelizmente acabou com uma batida e um longo castigo de dois meses.
    Por morar próximo de um autódromo, seu ‘período de reflexão’ foi ritmado pelo som dos motores e, após a soltura do filho rebelde, o pai o convidou para apreciar uma corrida direto das arquibancadas, prova esta que seria de motovelocidade. Foi paixão a primeira virada de pescoço acompanhando a passagem das motos em alta velocidade na pista.
    A insistência do menino fez com que João Faustino comprasse uma Yamaha RD 135cc, que por coincidência do destino pertencia ao então piloto da SuperBike Master, Juracy Black. Com a parceira de duas rodas, Faustino ingressou em 2006 no campeonato regional, em sua terra natal, Londrina, onde mora. Em 2007 disputou o Brasileiro de 250cc e embarcou para a Espanha no final do mesmo ano, para participar de um Festival Mundial. No ano seguinte repetiu a participação no Brasileiro até que, em 2009, conquistou o vice-campeonato Paranaense. Com o surgimento de um novo campeonato em 2010, apadrinhado por Felipe Massa e envolvendo motos e carros, Diego fez parte de uma grande equipe na competição, o que serviu de trampolim para sua carreira como piloto.
    SNo ano de estreia de Diego Faustino no SuperBike Brasil (2011), o piloto foi avassalador, conquistando o vice campeonato na classe SuperBike. No ano seguinte, subiu ainda mais e tornou-se campeão Brasileiro de 2012 na competição, além de ter recebido nomeação como Piloto Revelação e o troféu Moto de Ouro, em premiação realizada por revista especializada. Nos anos de 2013 e 2014, competiu por equipes diferentes, até que, para a temporada 2015, acertou com seu atual time, o Honda Mobil de Motovelocidade.
    O empresário e piloto é breve e direto quando fala de suas expectativas para 2015, “quero ser campeão”. Mas tem os pés no chão ao analisar os desafios que irá encarar ao longo do ano e comenta: “quero evoluir e me tornar um profissional cada vez melhor, tanto na pilotagem quanto em acerto do equipamento e elaboração de estratégias”. Espelhado pela determinação e habilidade de superar limites de seus ídolos, Valentino Rossi e Senna, Faustino analisa sua passagem por 2014 como algo bom, com direito a muita evolução, mas que ainda pode melhorar, sobretudo na parte física, a qual tem se dedicado bastante em busca de seu objetivo.
    De sua experiência em competições fora do país, o piloto da moto #68 considera essencial o aprendizado e um olhar diferente para o cenário, como ele cita, “uma visão mais profissional, de mente aberta e em busca de evolução”. Ele completa dizendo que os patrocinadores são um componente vitalem qualquer esporte, “são eles que nos dão a possibilidade de competir, de mostrar nosso trabalho e, junto a isso, a marca delestambém. Estou levando em 2015 empresas de renome, o que aumenta a responsabilidade de fazer um bom trabalho na pista”.
    Quando não está disputando com o cronômetro seus melhores tempos dentro da pista, Faustino se dedica a assistir corridas na TV. Ele também se interessa em construir peças por conta própria, seja um sub chassi ou partes maiores para uma moto completa, durante o tempo livre as soldas e conversas giram em torno do assunto principal, a paixão pelas motos, por isso ele e a nossa personalidade do mes.

    © Todos os direitos reservados - 2018