Ultimas atualizações
  • Teste 1: Teste

  • CUSTOMIZAÇÃO DE MOTOS HD

  • PRODUTOS PARA HARLEY-DAVIDSON

  • TOMBO NA LAMA NO PR

  • RJ: SALÃO MOTO BRASIL

  • DIAVEL BLACK

  • ESPANHOL DE MOTOVELOCIDADE

  • BRASILEIRO DE MOTOCROSS

  • RECALL NA HONDA CRF 450 R

  • Post por // outubro 6, 2014

    Ele é advogado especialista em Gestão e Direito de Trânsito, jornalista por acaso e idealizador do projeto Motociclismo com Segurança. Confira sua trajetória.

    A personalidade do mês do MMB entende muito do universo das duas rodas. André Garcia, 41 anos, é motociclista, advogado especialista em Gestão e Direito de Trânsito, colunista na imprensa especializada e idealizador do Projeto Motociclismo com Segurança, que busca aculturar a sociedade em segurança viária por meio de palestras e aulas de pilotagem. Ele também foi laureado com o Prêmio Abraciclo de Jornalismo em 2008 com matéria de segurança viária e já foi homenageado pelo Dia Internacional do Motociclista em 09/08/2013 pela Câmara Municipal de São Paulo e Associação Comercial de São Paulo com o Troféu “Marco do Paz”, destinado a quem se destaca em trabalhos de ação social e pela construção da cultura de paz no mundo.
    André nasceu em São Bernardo do Campo (SP) e sempre gostou das Naked’s a partir das 600 cc, mas hoje as Big-Trail’s fazem mais sua cabeça. Seu interesse por motos começou na época em que seus pais tinham sociedade em um restaurante de comida típica alemã em São Caetano do Sul, em São Paulo. O sócio tinha uma Turuna 125 e proporcionou muitos passeios a André. “Andei várias vezes com o tio Ernesto na garupa. A sociedade acabou, mas o bichinho das duas rodas já tinha me infectado”, contou. Ele também se tornou jornalista por acaso. “Comecei sem querer, participando de um Fórum de site, orientando os colegas com dicas de Legislação & Segurança. O editor me convidou para escrever uma coluna, ficou surpreso com meu feedback quando andei em uma moto cedido por fábrica para teste e aqui estou hoje. Escrever é como proferir uma aula, passar conhecimento. Gosto muito dos feedback´s dos leitores e das críticas fundamentadas.”
    Motociclismo com Segurança
    O advogado sempre gostou de ensinar, já fazia isso na faculdade com matérias como Introdução ao

    Foto: http://www.motociclismocomseguranca.com.br/

    Foto: http://www.motociclismocomseguranca.com.br/


    Estudo do Direito que era o terror de alguns colegas de classe e depois ministrou aulas de Direito do Seguro e Ética Concorrencial na Funensg – Escola Nacional de Seguros. Ao ser diagnosticado com câncer na tireoide, decidiu em sua recuperação em desenvolver o projeto Motociclismo com Segurança. “Já tinha feito especialização em Gestão e Direito de Trânsito e pensava em como colaborar de alguma forma para reduzir os acidentes de trânsito com um veículo que é fascinante, veio para ficar, proporciona grande mobilidade e se utilizado corretamente pode trazer grande qualidade de vida para o usuário que chegará mais rápido ao trabalho ou ao sua casa”, explicou André, que tinha como ideia levar às pessoas uma reflexão de como utilizar a moto, qual comprar, quais equipamentos utilizar e suas diferenças, como se comportar no trânsito, mostrar a legislação de trânsito e o que pode ser extraída dela para aumentar a segurança do condutor de duas rodas.
    Por meio deste projeto, André passou a dar palestras em todo o Estado de São Paulo e foi convidado a colaborar com grandes empresas como Magneti Marelli, Positron e BRF. “Meu objetivo é levar as palestras e havendo interesse e local adequado, lecionarei aulas práticas de pilotagem para todo o Brasil.”
    Mobilidade Urbana
    Como entendedor do assunto, André faz uma breve avaliação sobre a questão de mobilidade brasileira hoje, principalmente no quesito duas rodas. “A Política de Mobilidade Urbana no Brasil é um desastre. Incentivou-se a uso do automóvel por 60 anos em detrimento do sucateamento do transporte público, especialmente o ferroviário. Em uma canetada, por meio da Lei 12.587/13 que institui a Política de Mobilidade Urbana, o Estado quer que o cidadão se torne pedestre ou ciclista e utilize transporte público, deixando seu automóvel na garagem. Ocorre que a Lei foi sancionada em janeiro de 2012 pela Presidente da República e em março do mesmo ano, a mesma com seu Ministro da Fazenda isentava IPI dos automóveis, além de incentivos ao crédito para financiamento. A Lei de Mobilidade Urbana é um triste equivoco quando o legislador (Congresso Nacional) e a atual Presidente ignoraram a motocicleta como alternativa à mobilidade, como acontece em países como França e Itália, dentre muitos outros. Na Itália e França, cidades como Milão, Roma e Paris, é comum vermos grandes estacionamentos públicos nas entradas de estações de metrô para bicicletas e motocicletas. Esse equivoco que foi jogar na mesma vala a motocicleta que é ágil, econômica(40km/l) e menos poluente, com automóvel como uma SUV que ocupa o espaço de 6 scooter´s e para se locomover gasta 1 litro de gasolina a cada 5km é, com o perdão da palavra, burrice. Em Paris a Prefeitura criou, entre 2008 e 2014, 15 mil novas vagas para moto e scooter´s e acabou com 2.500 vagas de automóveis. Detalhe: possui a 10ª maior rede de Metrô do mundo com 213Km de extensão, com 301 estações”, explicou.
    E com essa premissa em contribuir com o cenário da mobilidade urbana no País, André pretende levar, mediante patrocínio, o Projeto Motociclismo com Segurança para todo o Brasil e finaliza: “A motocicleta já detém uma frota de pouco mais de 21 milhões de unidades, segundo o DENATRAN. A cultura de segurança viária e de duas rodas deve ser passado gratuitamente a população, sem qualquer interesse ou vínculo comercial. Segurança não pode ser visto como gasto, mas sim como investimento.”
    Por Amanda Gelumbauskas
    Colaboradora do MMB

    © Todos os direitos reservados - 2018