Ultimas atualizações
  • Teste 1: Teste

  • CUSTOMIZAÇÃO DE MOTOS HD

  • PRODUTOS PARA HARLEY-DAVIDSON

  • TOMBO NA LAMA NO PR

  • RJ: SALÃO MOTO BRASIL

  • DIAVEL BLACK

  • ESPANHOL DE MOTOVELOCIDADE

  • BRASILEIRO DE MOTOCROSS

  • RECALL NA HONDA CRF 450 R

  • Post por // janeiro 2, 2013

    Apaixonado por motos há 30 anos, ele é autor do livro Direção Defensiva para Motociclistas, com dicas úteis para de segurança para o dia a dia. Conheça sua trajetória!

    Foto: Arquivo Pessoal


    Ele nasceu em Criciúma (SC), atualmente mora em Florianópolis. É casado, tem dois filhos e é formado em Ciências da Computação. Dos seus cinquenta anos de vida, 30 deles são voltados ao motociclismo. A personalidade do mês do MMB é João Carlos Salvaro, um apaixonado por motos e especialista em direção defensiva, conhecimento este que lhe rendeu o livro Direção Defensiva para Motociclistas.
    Ao se definir, ele é direto: “a solução de todos os problemas da humanidade está na frase: ‘Faça a sua parte. Faça o que precisa ser feito.’ Eu procuro seguir isso.” Sua primeira moto foi uma Honda CB 400II, 1982. Já suas moto favoritas, são elas: uma Honda XRE300 e uma Honda Varadero 1000. “Na minha opinião o ideal é termos duas motos: uma para a cidade, que deve ser leve, ágil, econômica, como a minha XRE 300 e outra para passear e viajar que seja confortável, potente, como a minha Varadero. Elas são para duas situações completamente diferentes. A Varadero que é maravilhosa para viajar, é absolutamente impraticável para o dia a dia. Por outro lado, o conforto que a Varadero proporciona nem se compara com a XRE300.

    Foto: Arquivo Pessoal


    Salvaro começou a se interessar por motos desde o início das motos nacionais no Brasil, por volta de 1978, quando acabava de surgir as primeiras motos da Honda e Yamaha. Depois, não parou mais. Seja a passeio ou a viagem, para ele, viajar de moto proporciona uma sensação única. “É difícil alguém que tenha moto e não goste de viajar de moto. Possuo carro, mas viajar de moto é diferente, a sensação é outra. Apesar de mais cansativo, na moto a sensação é mais vívida, mais recompensadora, a sensação de liberdade e aventura nem se compara com o carro. A viagem que fiz a Poços de Caldas ainda está muito viva na memória”, conta.
    João Carlos ainda não teve a oportunidade de conhecer o Ushuaia, local que está na sua lista para as próximas viagens. Conciliar a rotina com os passeios não é um desafio para o motociclista, que aproveita os finais de semana e as férias do trabalho para viajar. “Como a esposa me acompanha e os filhos já são crescidos, temos muita liberdade neste sentido para aproveitar os passeios.”
    Direção Defensiva para Motociclistas
    Salvaro é um motociclista comprometido e cauteloso quando o assunto é segurança. Tal cuidado lhe rendeu o projeto Direção

    Foto: Divulgação


    Defensiva para Motociclistas. No prefácio da obra, Paulo Ricardo Silva Todeschini, motociclista e apresentador do programa Cia Liberdade já deixa registrado sobre o livro do amigo: “Considero este trabalho do Salvaro um manual de consulta no trânsito, urbano ou não, a ser seguido por todos.”
    A ideia de escrever um livro sobre segurança dos motociclistas surgiu pela própria falta de segurança e de imprudências observadas por Salvaro ao longo dos anos com a proposta de passar dicas de segurança para o dia a dia, diminuindo significativamente os riscos para quem está sobre duas rodas.
    “Como eu rodo de moto diariamente há mais de vinte anos, observo um série de imprudências cometidas pelos motociclistas, especialmente no meio urbano. É incrível a imprudência, a negligência, a falta de cuidados de alguns motociclistas com sua própria segurança. Então, resolvi coletar estas situações e reuni-las num livro para que as pessoas pudessem tomar conhecimento, praticar e rodar de forma mais segura possível com suas motos”, explica o autor.
    Para João Carlos, apesar do medo dos cidadãos em andar de moto pelas grandes cidades, o uso de motocicletas será cada vez maior. “O uso da motocicleta será cada vez maior em função dos seguintes fatores: os terríveis engarrafamentos em praticamente todas as cidades do Brasil; baixo custo de aquisição; baixo custo de manutenção; supereconômica (é muito mais barato andar de moto do que de transporte coletivo). O medo de andar de moto sempre haverá, e até salutar que não desapareça totalmente, pois assim vamos nos lembrar sempre que é preciso tomar cuidado e pilotar de forma defensiva.”

    Foto: Arquivo Pessoal


    Quanto à formação dos condutores, Salvaro é direto. “Os futuros motociclistas não saem preparados. É preciso, depois, praticar em lugar seguro antes de se aventurar no trânsito feroz, e também se informar as respeito de segurança. Para finalizar, no quesito segurança, João Carlos deixa sua recomendação aos motociclistas: “É difícil passar dicas aos mais experientes, principalmente aos que acham que já sabem de tudo. Aos que estão começando, ou pensando em começar, a recomendação básica é praticar a pilotagem defensiva e usar equipamentos de segurança. É possível diminuir significativamente os riscos com a segurança seguindo estas duas recomendações”.
    Aos interessados em ampliar seus conhecimentos sobre segurança para uma pilotagem segura, pode baixar gratuitamente o livro Direção Defensiva para Motociclistas aqui.
     
    Bate e Volta

    Foto: Arquivo Pessoal


    A rota ideal: belas paisagens.
    A máquina dos sonhos:  Honda VRF 1200X Crosstourer
    Uma moto inesquecível: a atual Honda XRE/300, perfeita para o dia a dia.
    Uma garupa: minha esposa Mari Lígia, que parceira!
    Uma curva: a melhor curva é aquela em que não passamos reto.
    A velocidade certa: aquela que nos sentimos seguros, aquela que nos proporciona uma margem de segurança para erros e emergência.
    João Carlos Salvaro quando pilota uma moto: esquece dos problemas, sensação de liberdade, aventura.
    Sua mensagem aos fãs e aos motonautas: a moto é um veículo maravilhoso, prático para o dia a dia, e pode proporcionar grandes momentos de felicidade no lazer, mas é preciso pilotá-la com cuidado, atenção, e principalmente de forma defensiva.
    Por Amanda Gelumbauskas – Colaboração para o MMB

    © Todos os direitos reservados - 2018