Ultimas atualizações
  • Teste 1: Teste

  • CUSTOMIZAÇÃO DE MOTOS HD

  • PRODUTOS PARA HARLEY-DAVIDSON

  • TOMBO NA LAMA NO PR

  • RJ: SALÃO MOTO BRASIL

  • DIAVEL BLACK

  • ESPANHOL DE MOTOVELOCIDADE

  • BRASILEIRO DE MOTOCROSS

  • RECALL NA HONDA CRF 450 R

  • Post por // novembro 26, 2012

    Destaque da nova safra de pilotos de motovelocidade do país, Rafael Paschoalin crava de vez a bandeira brasileira em solos internacionais e participa de uma das mais arriscadas disputas realizadas em circuito de rua do mundo, o 59º GP de Macau, na China.

    Brasileiro participou de prova em circuito de rua, uma das mais arriscadas do mundo.


    No circuito onde vale a experiência do piloto e o perfeito funcionamento da memória para decorar o traçado, por ser uma pista traiçoeira que utiliza as ruas da cidade chinesa, não há área de escape nem sequer margem para erros. Pela beleza do espetáculo e por todos esses motivos, mais de 72 mil expectadores e pelo menos 300 veículos de mídia de todas as partes, acompanharam o legendário GP de Macau e a 46ª edição da prova com motocicletas, desde 1954.
     É correto afirmar que em qualquer parte do mundo, o bom senso e as leis sugerem punições para quem participa ou organiza corridas em vias públicas. Mas felizmente, para alegria dos milhares de admiradores deste esporte, e de alguns poucos e corajosos pilotos, essas competições ganharam status e importância a ponto de serem oficializadas, recebendo inclusive, ajuda das autoridades para a realização.
    Pois foi em uma dessas provas que o piloto brasileiro Rafael Paschoalin participou no último final de semana, entre os dias 15 e 18 de novembro. A bordo da motocicleta BMW S1000RR número #113, máquina e piloto encararam um extenso trecho de ruas e avenidas. Totalizando 6120 metros em forma de um circuito bastante desafiador, tanto por suas longas retas quanto pelas curvas extremamente apertadas, o que dificulta as ultrapassagens e favorece os acidentes. Rafa conta que praticar este esporte é uma forma de superar os próprios limites e completa dizendo que: uma vez vestido o capacete e todo o equipamento de proteção, em provas de Road Race como esta, meu maior adversário sou eu mesmo, meus medos e convicções.
    Na página oficial do piloto no Facebook, Tereza, a mãe do Rafa, publicou um texto em forma de desabafo a respeito do filho. Nele, comenta as dificuldades e barreiras enfrentadas por Rafael para alcançar seus objetivos, a determinação e dedicação empenhadas em cada tempo “livre”, seja para as responsabilidades de ser pai ou para os treinos e acertos na motocicleta. Por trás do piloto que todos conhecem, o Rafael é um homem humilde, amigo, corajoso, esforçado, é o herói de seus filhos, alguém que trabalha muito e passa noites em claro mexendo na moto e ainda assim, levanta cedo no dia seguinte para ir treinar. Fim de semana, feriado, férias… para ele são apenas palavras existentes no dicionário.
    Sobre o 46º GP de Macau

    Rafael pronto para encarar as curvas de Le Man, na França


    Competindo entre 28 pilotos de diversas nacionalidades, com diferentes níveis de experiência em provas deste tipo para se conquistar um lugar no grid, mais uma vez Rafael se superou. Após passar pela complicada classificação como o segundo melhor estreante na prova, ocupando a 19ª posição no grid, o clima e a previsão meteorológicas obrigaram a organização a adiar a prova, prevista inicialmente para acontecer no sábado, às 15h30 do horário local, 5h30 pelo horário de Brasilia.
    A chuva que caiu sobre o circuito foi vista com bons olhos pelo piloto, que não havia largado bem, perdendo uma posição logo no início da prova, se recuperando e avançando outras 2 posições nas curvas seguintes. Paschoalin teve que abandonar a prova pouco depois de completar 5 voltas, devido as fortes dores no antebraço direito que impossibilitavam o domínio da moto nas frenagens mais duras do circuito.
    Valeu pela experiência de ter participado, pelas pessoas que conheci e principalmente por ter saído ileso de uma corrida tão dura como esta, por isso, agradeço a todos que torcem por mim e me dão força para levar o nome do Brasil nesta empreitada. Paschoalin adiantou que nas previsões para o próximo ano, já está carimbada sua participação na famosa prova do TT na Ilha de Man (Tourist Trophy Isle of Man), na Irlanda, considerada a prova mais difícil da categoria.

    © Todos os direitos reservados - 2018